domingo, 6 de junho de 2010

SOCIEDADE BEATNIK


OS NOVOS BEATS QUE NÃO SABEM QUEM SÃO.

O gozado do movimento Beat foi a sua importância em sua época. Outra coisa engraçada foi o seu descrédito em tão pouco tempo. Os Beats queriam mudar o mundo com uma filosofia, e, menos do que se esperava, sua filosofia caiu em mero círculo fechado, onde as únicas coisas que valem a pena são suas fantasias culturais.

Eu não gosto de Beatnik, mas isso todo mundo já sabe, mas o que não estou gostando mesmo é da perpetuação do sistema.

Vamos identificar alguns Beats modernos e fazer uma pesquisa agora? Então vamos lá.

Música Popular Brasileira pra essa gente:

Caetano (é claro essa merda tinha que estar em primeiro lugar) Elis Regina, Tim Maia, Vanessa da Mata, Tropicália (principalmente pela filosofia defasada ligada a movimento estudantil) e que tal Chico Buarque? Ta bom... chega, já dá pra ter uma idéia.

Musica Internacional:

Beattles (principalmente por não terem ouvidos bons e não conseguirem evoluir com o tempo) Pink Floid (Exatamente pela idade dos caras que encantam os novos-meninos-antigos), Led Zeppelin ( Por algum motivo, não sei bem ainda. ÁH TÁ, AS ROUPAS DO PLANT RIPONGO) O resto que esse povo falar é só besteira, por que de Pink e Led só estão preparados com Wish You Here e Starway to heaven.

Os Beats atuais são os chamdos Ripongos: gente de família que pode manter suas vaidades se fingindo de alternativo e loucao, mais ou menos como o filme INTO THE WILD (dentro da vida selvagem). E neste ponto, pra essa gente EDDIE VEDDER se tornou mais deus ainda por fazer a composição geral do filme.

Filmes

Em primeiro lugar, adivinhem? AMELIE POULAIN, Laranja Mecânica (até hoje não sei por que já que o Transporting é uma leitura pobre da mesma coisa. Ahhhh, esse também é do gosto Beat), entre outros que fazem parte do cardápio.

Obras de arte Beat

Não tem! É qualquer coisa pintada por amigos! Áh, tem Wahol!

Qual o problema dos Beats?

O problemas dos Beats eu explico em alguns tópicos, se tiver paciência leia:

1 – Falta de desprendimento ligado a solidão.

É asssim: eles não conseguem sair deste círculo pobre senão se tornam vazios e sem companhia. É preciso grana, amigo, grana pra poder manter a inquisição da alma.

Maldito seja! Almas pobres e pobres. Em que ano nós estamos? 2010.. quem diria! 2010 e até hoje essa massa nojenta de gente sustentada pelos pais ainda ficam ditando as regras. Fodam-se!

2 – Têm medo se ser superados por gente que não é do seu meio.

Daí a discriminação dessa laia nojenta. Se você não comunga do mesmo espaço e não tem grana pra ficar todo dia enchendo a cara e pagando a conta, esqueça, o seu lugar não é aqui! Quando tem alguém que não pertence ao seu círculo, eles ficam tão nervosos que se juntam em seus grupos e isolam tal fulano.

Beats! É só isso! Gente que vive uma filosofia ultrapassada e cansativa, mas isso não é novidade pra eles mesmo, o importante é manter o círculo. O CÍRCULO É O QUE IMPORTA!

A lástima pior é esse povo não saber nem quem são e nem de onde vêm. Acham que acreditam em algo cult, sendo que esse cult é apenas brega demais! Brega demais!

Vai ler gente, pelo amor de deus! Vai ler caralho, larga essa TV de mão!

Um conselho do Tio Intolerante pra vocês laia nojenta: ABRAM SUAS ALMAS PRA COISAS NOVA E INTERESANTES. O mundo não parou nos anos 60, ainda anda e anda muito bem!

Um comentário:

Anônimo disse...

gostei, vem pra são paulo aqui tem um monte desses beats!!!!

Seguidores

Revista Palmito City

Minha foto

Revista Intolerante é um blog tocantinenses que trata de cultura e ponto de vista. Sempre abrangendo os trabalhos de artistas marginais e emitindo ponto de vista de vários aspectos sociais.