domingo, 28 de março de 2010

SOBRE UM BOM SHOW EM DIA DE CHUVA EM PALMITO CITY

Tudo começou assim:

À noite, a chuva caiu sobre a cidade. Então, o Tendencies Music Bar até que concentrou um número bom de pessoas para a situação, contudo, se acomodaram preguisosamente nas cadeiras no estilo PUB fundo de quintal. Bom, aí, a banda que ia abrir não veio, eu tava de boa curtindo a moçada que não via a um tempo, nunca fui muito grilado com esse negocio de horário de show não, desde que aconteça, e aconteceu e foi desta forma:

primeira banda, Poetas do Caos. O cara se matando lá com o chocalho de cabeça dele e o povão pegando no sono. Uns poucos na frente dando aquela velha força, mas no demais, tédio total, mas a apresentação foi boa.

A banda Poetas do Caos, na verdade eu conversava com alguém e dizia o que falei quando fiz a matéria deles aqui no blog ano passado. Quando falei disse que eles tinham tudo para se firmar historicamente já na historia da musica palmitocitiana e foi o que aconteceu, estão firmados, agora é só não ficar brincando de trocar de membros por que ai todo mundo já sabe no que dá no final.

Boddah diciro, segunda banda. A comparação que faço com a apresentação desta banda na noite foi a de quatros pequenos esquilos tentando puxar um caminhão trucado de nozes pra cima de um pinheiro. Pois foi, o pessoal tava mesmo com vontade de tocar, mas como o povo por aqui dorme se chover, já tava meio tipo assim anestesiado pela brisa da noite.

Aí o guitarra e meio-vocal da banda pirou o cabeção. Por que depois da menina cantora fazer bonito nos flangers, delays, trêmulos e pegada boa e o guitarrista pular do palco com a guitarra, tocando no meio do povo, não dava pra ter outra sensação senão a de falta de respeito mesmo. Ouve vários apelos do cara no estilo culto da Assembléia de Deus: Levantem irmãos o Senhor está no nosso meio! Só que neste caso o apelo era para a adoração ao rock. Para a veneração da chance que poucos conseguem dar a construção do cenário que já não era mais nem pra ta rolando isso. Tipo, se sai na chuva e vai pro maldito show de rock que seja pra cultuar a porra e não ficar pintando os olhos de preto, usando roupa preta com estampa ultrapassada de banda de rock e ficar sentando bebendo Brahma Fresh e ficar arrotando na frente de quem ta se matando pra fazer bem lá na frente.

A última atitude do guitarrista da Boddah foi despachar a guitarra bonitona no chão com força mesmo como sinal de indignação pela falta de consideração. (pelo menos é o que eu penso, talvez foi um fechamento do show apenas)

Bom, por último veio a banda Mata Burro com o Bento cantando junto com o Ítalo e falando sobre as questões pessoais que lhe ocorreram nestes últimos dias. Foi só ai que os chuta chuta, empurra empurra se levantaram e se enlaçaram numa pequena roda erótica de machos brutos querendo dar o murro mais forte.

Algumas considerações finais da minha parte:

Foi valida a cólera do guitarrista da banda Boddah. Na verdade, nas vezes que tive banda, aqui e fora daqui, eu deixava de tocar em certos eventos, preferia levar fama de metido e narcisista do que me matar em uma porra de uma festa onde quem vai pagar o pau sou eu. Por que se você não sabe, as pessoas que acabam a festa por prazer hediondo ainda saem dizendo que foi horrível a apresentação da banda e isso vira fama, por que o povo fica tudo passando de boca em boca que O SHOW DE ONTEM FOI UMA LÁSTIMA. Quer dizer, as vezes pra manter o nome limpo na praça melhor é não ir mesmo.

Segundo, a banda que toca também precisa entender que existem noites de Vudus. Tipo namoro em começo de carreira, tem dias que o bicho pega na salinha da casa da mina, mas tem dias que não adianta, não vai dar rock. Ontem não tava dando. Quando eu cheguei já falei pra menina do meu lado: “Olha a bosta que isso vai dar! Que diabos esse povo faz ai sentando parece que ta em um culto!”.

Terceiro, bem fez foi a primeira banda vazar fora!

E quarto, eu gostei das apresentações, as três bandas fizeram um show muito bom e devem manter isso na cabeça, que se apresentaram muito bem e estão mesmo no ponto de deixar a cozinha do rock em Palmito City em boas mãos, quanto ao público, logo com a sustentação de um cenário bem construído vão tudo pro Choppleque e logo vem uma leva de gente que aprende a respeitar um som de qualidade.

Parabéns as bandas e façam como os velhos dizem: “Comam o peixe e tirem as espinhas!”.

14 comentários:

Alexandre hard rock disse...

Geralmente o povo daqui tem esse custume.Com a chuva vem a morgação e o sonooo.Bem..Concordei um pouco com a atitude do guitar do Boddah.tipo,é phoda tah em cima do palco se matando para fazer o melhor e não ser correpondido mais,quando se trata de uma noite quem nem há de ontem,fica dificil para uma banda elevar a temperatura de quem estava presente!
Em ralação as bandas todas estão de parabéns!mandaram ver..

Anônimo disse...

Realmente, sábado foi um diazinho bem vudu mesmo, daí tu pensa, abrir a parada com poetas, tocando chocalho e tudo...aquilo me remeteu a minha infância de uma forma, que eu senti até o cheiro do leite da minha mãe. Claro que em outros dias de mais alcool e animação eu me juntaria a minha minoria de sempre dando uma animada. Mas na situação eu fiquei pescando na cadeira meeesmo!

Agora confesso que o guitarrista meio vocalista e pregador me despertou, acredito tbm que sábado foi um dia que a Bodaah deveria ter se "poupado por orgulho" ao ter se exposto daquela forma, tudo bem que a Dídia na batera deixa muitos marmanjo no chinelo, e a bela vocalista hipnotiza, e ja foi bem recompensada com os comentários do autor do blog, rs! Agora o cara subir no palco pra tocar grunge e pedir pra galera levantar depois de poetas do caos? Brincadeira né? Se eu tivesse tão bebada quanto ele eu iria mesmo, alías se eu tivesse tão bebada quanto ele eu fazia um streep lá na frente, hehe... Ah, eh claro que eu não posso deixar de comentar a memorável queda do guitarrista meio vocalista e pastor, foi MASSA! :D

E mata burro foi aquilo lá que eles são sempre ^^ (deu preguiça, bj)

Meus pêsames ao pai do Bento!

Anônimo disse...

Sobre o que a Anônima falou aí na frente:
Eu acho comédia essas coisas!
Se todas as bandas de Palmas tivessem o
ego que vocês esperam que tenham, nenhuma
banda se prestaria a tocar em nenhum lugar
aqui de Palmas! Inclusive nos "grandes festivais"
como tendencies e pmw.

Não vejo nada d+ no que o guitar da bodha falou
ou fez e na verdade achei o show mais embreagado
e rocknroll que já ví nessa cidade.

A Bodha está de parabéns, e mostrou a todos os
que não queriam ver que o rock exige atitude,
e fodam-se os manés que saem de casa em um
sábado chuvoso pra ficar sentado, vendo o pau
comer, com cara de tacho.

Talvez um dia o público entenda e valorize
as bandas que dão duro, para que ninguém
mais tenha que se estabacar do palco pra
mostrar isso.

Sobre as outras bandas:
Eu achei o repertório da primeira banda mt longo,
cansativo e desanimador.
Mata-burro é akilo ali msm. Se apresentou bem.

Ainda bem que existem blogs que veem mais em uma banda do que o tombo que o guitar levo. Pois se depender do público, a única lição que fica é não beber antes de um show, e deixar a cena muito menos rocknroll.

Karina Francis disse...

Conheço todas as bandas que tocaram. Entretanto não estava no show pq no momento não estou em palmas. Mas o artigo é de grande reflexão, uma vez que muita gente diz curtir rock, diz gostar do movimento, mas deste movimento não entende nada! Parece até que está na moda dizer “eu sou do rock and roll”. Ai, dá um monte de pessoas de preto, com os olhos pretos e as camisetas de banda ( como diz o autor do texto do blog). Mas na prática quantas dessas pessoas sabem o que estão ouvindo? Gostar de rock é muito mais do que vestir uma roupa preta.....mas nessa margem, são poucos os que estão incluídos.

Macagi disse...

Acho que todos deveriam ter bebido no mesmo grau que nosso amigo da Boddah Diciro. Aí estaríamos todos aquecidos e animados. rsrsrs Prometo que da próxima eu beberei junto com ele. Esse negócio de julgamento só cabe aos colegas da Jargões que não foram e deixaram uma lacuna a ser preenchida, o que esticou as outras apresentações, mas que creio, devem ter tido um motivo relevante. Quanto ao público, reagiu bem, estão de parabéns, eu compreendo perfeitamente a alquimia entre clima, quantidade, graduação alcóolica e cadeiras. Já o quesito agradar a todos, a natureza e a própria chuva são provas de que isso é impossível. Mas foda-se o resto! Eu me diverti muito e vi muitos fazerem o mesmo!

Alexandre hard rock disse...

Essa questão de agradar a todos e phoda!Tem certas pessoas q não entende a dificuldade que tem uma banda em fazer um som sem total apoio de base.Pessoas que tem atitude que nem do nosso querido amigo anônimo não são do movimento,e nem muito menos rock'n'roll.São apenas roqueiros(a)camuflados ou modistas!!kero q vão se laska pra lá!! Eu me diverti abeça com evento...

Remo disse...

Cara, é uma pena tudo isso. Boddah é a grande banda de Palmas lá fora e aqui dentro não são tão tratadas com respeito, apenas por produtores e outras bandas. Eu particularmente tenho respeito e sempre defendo, o som não é do meu agrado mas é o trabalho deles e falar do trabalho alheio doi no coração, eu mesmo já sofri com isso. Foi acaso, a chuva trouxe pouco publico e pelo que entendi deu zica na guita.
Mas por outro lado, como é que curte grunge? rodinha? bate cabeça? Não, é simplesmente um som de se escutar parado e olhando. Só vi o Nirvana fazendo grunge pra roda de pogo e mosh.
Desejo tudo de bom e toda sorte do mundo em lugares onde o Boddah é correspondido, mas em Palmas não pegou, é uma pena.
Mas que o trabalho dos caras é digno de todo nosso respeito é, pelo som dificil e por levar o nome de Palmas e do Tocantins pro Brasil a fora com muita dedicação.
Parabens por isso.

Macagi disse...

Eu curti muito!!! Sonoridade de responsa, qualidade e a moça da bateria é excepcional!!! De certa forma, a pouca quantidade de pessoas até "ajudou" na apreciação, em eventos maiores, não pude notar esses detalhes. Parabéns Boddah Diciro!

Maciel Farias Rocha disse...

O Som do Boddah é muito do meu agrado, sou recém chegado aqui em palmas, na verdade minha expectativa maior era ver o Boddah, gostei muito. A banda ta de parabéns, as outras também, poetas do caos me lembrou muito uma antiga banda que tinha, Mata Burro também mandou muito bem apesar do som não ser minha praia. No geral o público tava meio parado mesmo. Mas dizer u q? curti. Espero participar de outros eventos mais vezes.

Roberto Giovannetti disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Roberto Giovannetti disse...

Olá pessoal.
De fato, o show da Boddah rendeu mais do que o esperado, e não apenas no bom sentido.

Ficamos muito felizes em ver que a grande maioria do pessoal que comentou aqui, disse algo a favor da banda.
É importante ressaltar que, a Boddah Diciro, em momento algum quis ofender o público presente, tão pouco a casa que nos abrigava (Tendencies Musica Bar).

Pedimos desculpas a quem se sentiu desrespeitado com nossas atitudes, mas temos em nossas cabeças a idéia de que se nos propormos a tocar, daqui para frente, faremos o possível para que o público entre no clima, independente de chuva ou do lugar em que estamos tocando..

Digo isso pois chegaram vários e-mails, de vários estados brasileiros, dizendo que alguém estava espalhando a fato da Boddah Diciro ter difamado a cena local e a casa de shows que nos abrigava, e isso não saiu de nossas bocas hora nenhuma,
pois fazemos parte de tudo isso, e já mais nos sentiríamos no direito de menosprezar algo que está em nossas vidas todos os minutos de nosso dia. Prova disso são os cometários acima, de quem estava no show, e lá ficou até o final.

Parabéns as outras bandas, e força para agüentar não apenas a ralação, mas as pessoas que tentam desmoralizar o lugar, e quem o tenta fortalecer.

Obrigado Intolerante pelo espaço.
Pedimos que continue sendo sincero com a Boddah, como sempre foi, isso é importante para que possamos melhorar o nosso trabalho a cada
dia.

Um grande abraço a todos, e nos vemos em uma próxima oportunidade.

Roberto (guitarra e vocal da Boddah)

Anônimo disse...

só tem bandinha meia-boca em Palmas... até o rock progressivo chegar por aqui vai levar uns 200 anos...

Anônimo disse...

meu nome é patricia, e voce intolerante tinha que vir pra são paulo cara!!!! sempre detestei essa coisa de beatnik, portanto gostei de filmes como laranja mecanica e trainsporting, massssss......na nossa civilização é sempre assim, existem tribos para todos os gostos, mas de todas elas nunca uma foi tão idiota como os beatniks!!!
meu contato: kimerahroots@hotmail.com

Anônimo disse...

perai boddah nao era o nome do amigo imaginario do kurt cobain? rsssss

Seguidores

Revista Palmito City

Minha foto

Revista Intolerante é um blog tocantinenses que trata de cultura e ponto de vista. Sempre abrangendo os trabalhos de artistas marginais e emitindo ponto de vista de vários aspectos sociais.