sábado, 19 de junho de 2010

PAGODEIROS X CAPELINOS

Foto roubada do Orkut do Fotográfo Hemerson Bento. Vocalista da banda Capelinos em performance em uma noite daquelas que são feitas pra uma banda. TEM NOITE QUE É DE UMA BANDA APENAS E ESTÁ NOITE FOI DESTA.

QUANDO OS ECOS REALMENTE SÃO FALSOS!

Os caras de São Paulo foram convidados para tocar aqui em Palmito City, mas acontece que o baixista da banda ficou doente de H1N1 e então um dos três guitarristas da banda, o velhote com estilo emo falou: “tem um pagoderão ali do bom que pode assumir o lugar do cara!” Daí, o pagodeiro entrou na banda e logo a galera já percebeu o que vinha pela frente, por que o cara também jogava no time contrário.

Quando a banda subiu no palco tinha todos os apetrechos para ser a Tisunamy da noite: sintetizador, três guitarras, (lembrei ate Counting Crows) uma mesa de pedais para cada um que parecia a cama do guitarrista do Sonic Youth (Unmade Bed) o baterista com um braço engessado (o que todo mundo pensa: caralhooooo! E eu pensando: puro charme, devia ter engessado o braço bonzinho). Meu! Na boa! Esse lance de querer inovar é algo muito sistemático, por que é melhor ir mesmo pelo tradicional do que fazer uma lambamça.

Pois é a influência do pagodeiro soou forte, o que era pra ser uma banda dessas indies que povoam os festivais independentes acabou virando como o próprio pagodeiro da banda falou, ISSO AQUI É UMA VIADAGEM GERAL, NÉ GENTE?

O pior é que a tal banda é daquelas que chega na cidade julgando-se ser uma apoteótica banda irlandesa ou da Islândia, que encontra um lugar esdrúxulo em detrimento de São Paulo. Só que são tão burros que não estudaram antes que este lugar é cheio de gente de fora inclusive o berço donde eles vêem. E ai foi onde se fuderam, por que pro azar deles a banda que tocou antes foi Capelinos, tocantinense, o que pra mim foi o gran finale do evento.

A banda Capelinos eu já tinha visto uma apresentação em um PMW que rolou, mas não fiquei convencido e um pouco suspeito do que poderia ser, deixei quieto, desta vez, a coisa foi diferente. Rock fritado no talo como deve ser. No geral a banda se apresentou muito bem. A segurança e tranqüilidade, vocal compreensível (coisa rara) bateria segura e baixo brutalmente não decepcionando os demais comparsas de quem sabia o que estava fazendo superou as expectativas, ao contrario da banda do pagodeiro que ficava falando o tempo todo asneiras tipo, calor deste lugar (e nem tava calor assim, todo mundo sabe que o clima baixou estes dias) trocando a palavra PRATA (a praia) por PLATA como puro tom de ironia nada engraçado.

A banda Ecos Falso é uma banda fraca, com melodia chata e cansativa, brega. Deviam ouvir no mínimo THE KILLERS se querem enveredar nesta praia de techno indie ou no máximo DEPECHE MODE se querem colocar um sintetizador no palco. É uma banda com gente demais e qualidade pouca. Algumas músicas dançantes é verdade, em função da performance pobre do pagodeiro que insistia em provar que era bicha (nada contra).

A verdade é que essa banda paroleira e cheia de tédio foi massacrada pela banda Capelinos que não deixou a noite a mercê destes sujeitos arrogantes e com discurso pobre. Três caras deixaram claro com quantos instrumentos é possível fazer uma banda boa.

Ta bom! A coisa ta fervendo por aqui, lamentável o Herdeiros e Reis terem sido parados por inusitadas situações que lhe tiraram por este período do palco, por que é assim que tem que ser e é assim que está sendo aqui, quando banda cuzona vir de fora querendo pagar pau, logo vai ser chacoalhada por intrigantes palmitocitianos que mandam muito bem seus sinais de fumaça. Estamos bem e estamos indo muito bem! Quando nego vem comendo o caju a gente já ta é comendo a castanha assada!

Evento: Noite PMW

Data: 10.06.10

Local: Tendencies Music Bar

Bandas: Maquinários, Capelinos, Ecos Falso (a banda do pagodeiro).

10 comentários:

nicio disse...

Para quem quiser ouvir e baixar primeiro EP dos Capellinos acesse http://www.myspace.com/capellinos

Anônimo disse...

"por que o cara também jogava no time contrário"

"como o próprio pagodeiro da banda falou, ISSO AQUI É UMA VIADAGEM GERAL, NÉ GENTE?"

"pagodeiro que insistia em provar que era bicha (nada contra). "


Nada contra né? MEU, você realmente tem problema com a homosexualidade! q tal se resolver? até pq se alguem resolver te levar pra justiça, se tá ferrado! olha q numa analise rápida tem coisa aq hein! Q tal gastar energia com outras analises menos superficiais?

INTOLERANTE disse...

e ai anonimo! se leu direito ai a coisa e tava no show, quem disse que o lance era uma viadajem geral foi o Alexandre Pires e não eu, só repeti as palavras dele. as demais colocações ligada a sexualidade do sujeito fluiram apenas a partir do fato exposto na noite. Valeu por pisar no sítio Intolerante, mas identifique-se na próxima, covardia é fraqueza!

Fernanda Neves disse...

A noite foi perfeita por conta da Capelinos!! Maquinários cresce a kda dia no meu conceito, muito boa tb!
Porém ecos falsos...Intolerante já disse tudo!! Ótimo texto!
Parabéns ao Bento pela foto! Magnífica!!!

Anônimo disse...

Revista Intolerante. O nome caiu como um luva. Uma resenha permeada de preconceitos e com um tom de ressentimento contra a atração paulista da noite.

Abraços!

INTOLERANTE disse...

Não tenho preconceito com ninguêm. Preconceito é banda paulista ser ironica em vários aspectos com a cidade anfitriã. A Revista Intolerante é apenas uma voz sem meio termos que cuida da opinião desta cidade, na atual conjuntura, mas odiada do que amada pelo próprio lugar, mas logo eu deixo isso de mão, já outros meios intolerantes acordaram para não deixar este lugar a mercê como antigamente de nego que vinha aqui e ficava tirando onda com o Norte e com as boas pessoas que moram aqui. Seu tiver presente e presenciar esse tipo de coisas, vai levar chumbo mesmo na Revista...
Quanto ao Senhor ou senhora, parece bastante inquieto com isso, não se preocupe se olhar o blog desde o começo vai perceber muita gente igual a você. Mas me parece mesmo algo pessoal,não tem problema, gente da tua laia é que faz com que a discussão sobre a bela arte se mantenha viva. Lacaio do meio!

Paulo disse...

Também fiquei decepcionado com a apresentação da banda paulista, antes do evento escutei o cd deles, alguns lances achei chatos de verdade, aquela coisa de tentar ser experimental demais é perigosa, mais também gostei de algumas, achei que ao vivo chegariam mais, sai antes de terminarem o show, cansei, um lance chato, na realidade forçado mesmo.

Das apresentações que presenciei dos Capellinos, essa foi a melhor, segura, músicas novas ainda não gravadas sendo executadas com certa diferença das já registradas, demonstrando mais facetas do projeto, dialogando no palco através da música e sem conversa fiada!

Fernanda Neves disse...

Putz! esse anônimo quer pq quer virar o chato da vez, né?
o lance é q os paulistas não agradaram MSM e ponto final, "meu"!!!

Remo Daris disse...

Tem como configurar postagem moderada de comentarios aí só quem tem conta google comenta, aí não aparecem machões anônimos ou homossexuais ofendidos que não querem sair do armário.

Parabéns pelo texto Rivas, e pelo blog.

Remo Daris disse...

Tem outro detalhe, isso é um blog e blog não necessita de total imparcialidade nem existe limite, é a opinião do DONO e ele escreve o que quer sempre, ele nunca escreve o que ele discorda, e quem lê tem que ler sabendo que se trata de um blog, e o interessante seria se quem tivesse uma opinião adversa também manifestasse ou opinando sobre o que acha sobre o TEMA ou fazendo seu proprio blog.

Tem na wikipedia caso queira entender melhor já que lá é a fonte do saber dos anônimos.

Seguidores

Revista Palmito City

Minha foto

Revista Intolerante é um blog tocantinenses que trata de cultura e ponto de vista. Sempre abrangendo os trabalhos de artistas marginais e emitindo ponto de vista de vários aspectos sociais.