quinta-feira, 17 de junho de 2010

A CASA DAS SETE MULHERES

COMO O SISTEMA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO SE DOBRA AOS ORGASMOS MASCULINOS DAS MÃES-GESTORAS.

A Vênus de Hohle Fels. A mais antiga expressão de arte figurativa feita em 6 cm. de altura esculpida em marfim de mamute com exagero em todos as partes, nos conta que na história a protuberância feminina já urgia de modo apoteótico. Os peitos em contornos volumosos podem mesmo significar apenas símbolo de fertilidade, mas também pode querer dizer: "presta atenção quem é que manda nessa porra!".

O sistema de educação de Palmito City segue a mesma premissa Celta e Cretense, donde a mulher tem um papel relevante junto ao homem na sociedade, o que caracteriza algo importante na classe feminina e no conceito social em geral, não fosse o fato da autoridade feminina dentro do sistema partir de forçação política.

Funciona mais ou menos assim: o Secretário fica no topo da hierarquia. Dá ordem e executa os mandados. As mulheres, esposas, parentes e sei lá mais o que, dos políticos, amigos dos políticos ou de quem trabalha para o Prefeito são distribuídas nos setores governando com punho de ferro e cólera pessoal. Só que era pra funcionar assim: a ordem sai do secretário e elas teriam que cumprir de bico calado, mas não fazem, a ordem do homem via pedaço de papel assinado precisa ser submetido ao gosto delas, se elas querem fazer ou não. E sempre fazem, mas do seu jeito.

A autoridade destas mães-gestoras é tão grande que elas perseguem, caçam cabeças, tratam mal, tiram onda, riem na cara e se possível ate manda pra puta que pariu servidor que elas não vão com a cara, estando eles debaixo da Lei ou não.

E ai a piada se estendeu, por que como na maioria das Escolas quem manda é mulher, elas também se mancomunam com as chefonas da secretaria e fazem o mesmo. Perseguem, inventam historias, forjam situações e deixam o servidor na lama.

Caso comum da Escola de Tempo Integral da Região Norte, onde a Diretora é uma verdadeira caçadora de cabeças. Sabe-se da boca de pessoas que já trabalharam ou trabalham lá que ela só falta pegar um chicote e tratar o povo como animais de circo.

Neste concurso, por exemplo, do Município, todo candidato a uma vaga na educação já está rezando para seus santos e fazendo promessas a Deus para não cair lá. É o que se ouve por ai: “Se Deus quiser não vou parar na ETI Norte!”.

O caso do secretário é que ele tem que deixar as meninas arrancarem as cabeças de suas bonecas, por que senão fica sujeito a quem está acima dele. Então, melhor é obedecer calado do que sofrer as punições.

Não queira um dia da sua vida sair da sua casa e ter que resolver algo nos RH desta secretaria. A coisa lá é feia mesmo. Tipo, mau atendimento, humilhação e destrato com a condição do servidor amparado por Lei.

Resultado dessa esbornea é que os professores, por exemplo, andam tudo doentes, cansados, oprimidos e de licença em licença, senão tentando suicídio ou ficando louco pela angustiosa situação que este sistema de película o subordina.

O pior é quando se trata de gente contrata. Contrato é bicho do pé que quando incomoda demais é tirado com o canivete. Não tem valor, só serve para os propósitos de preencher o quadro. Estes infelizes chegam a passar um dia inteiro na fila para ser atendidos em RH e quando são atendidos, sofrem mais do que menina de treze anos tendo parto de trigêmeos, isso quando são atendidos.

Nas escolas, estes bichos de pé são vilipendiados como condenados na fogueira da inquisição, mesmo trabalhando na sua mais do que os outros são acoitados ate a morte se não quiser perder o seu emprego.

Não tenho nada contra mulher mandar ou desmandar, to nem ai pra isso não, mulher também é gente, mas neste caso citado, não dava pra ser outro tipo de fêmea? Tem que ser a mal amada, infeliz, traída ou sedenta de poder que acha em seus lacaios um modo de gozar todo o orgasmo que não tem em casa?

É bom o Senhor Secretário começar a sair da cozinha e assumir o comando dessa pocilga se não quiser sofrer as profecias maquiavélicas (e aqui esta palavra tem seu sentido literal):

“Se é de acoitar o pobre, melhor que o mate de vez, caso contrário o povo se fortalece contra o poder do Rei!”.

4 comentários:

Macagi disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Macagi disse...

Eu trabalhei da educação estadual por três anos como contratado! Sei bem o que quer dizer! O cenário é bem parecido. Também não tenho nada contra as mulheres no poder! Mas quando me transferiram para uma sala em que eu era o único homem subordinado a 12 mulheres, eu pedi aumento e depois demissão!
Vão enlouquecer o cão, não eu!!! rsrsrs

Anônimo disse...

"Não tenho nada contra mulher mandar ou desmandar, to nem ai pra isso não, mulher também é gente, mas neste caso citado, não dava pra ser outro tipo de fêmea? Tem que ser a mal amada, infeliz, traída ou sedenta de poder que acha em seus lacaios um modo de gozar todo o orgasmo que não tem em casa?"


ah me enganei! vc não tem só problemas com a homosexualidade não! Questões de gênero em geral né! E o falo vai bem???
Qnto absurdo hein!!!

Anônimo disse...

parabéns por assumir que "mulher também é gente"!

Seguidores

Revista Palmito City

Minha foto

Revista Intolerante é um blog tocantinenses que trata de cultura e ponto de vista. Sempre abrangendo os trabalhos de artistas marginais e emitindo ponto de vista de vários aspectos sociais.