segunda-feira, 1 de setembro de 2008

MORRE O BURRO, MAS FICAM AS MARCAS DOS COICES DISTORCIDOS


Após uma enxurrada de Festivais que aproximaram além de várias bandas do Tocantins, também o público, (Junta Tribu, Agosto de Rock e TOME), parecia que não havia lugar para mais nada. É então no dia 29 de agosto de 2008 em Palmas, uns loucos decidem dar com os burros n´agua e juntam mais uma vez bandas que apesar de diferentes no estilo cultivam das mesmas atitudes. Bandas que passeiam sempre pelo, punk, grunge e alternativo. O Festival era a BURRADA FESTIVAL, que reuniu tribos afim de fechar a temporada de caça aos burros com cordas de ouro. Abaixo segue a opinião de quem estava de fora da organização do evento e também do promotor do mesmo. O burro pode ter morrido, mas as marcas ainda ficarão por algum tempo. Cião!

By Maggo. Espião contratado da REVISTA INTOLERANTE e vocalista da banda MEU XAMPU FEDE.

Bom, é a minha primeira vez por aqui. Fui encarregado de escrever a resenha do 1° BURRADA FESTIVAL. Para começar, como sempre o normal de todos os eventos de rock em Palmas, o velho atraso, mas tudo tranqüilo no recinto do rock mais movimentado de Palmas.

O inicio do Festival: Meros - Berros

Por volta de meia noite a banda Miracemense Meros – Berros sobe ao Palco do Tendencies Music Bar. Realmente eu estava ansioso pra ver esta banda, que meu companheiro Rivas (o intolerrante) já havia me falado bastante que o som era assim e assim.
Bom as palavras que eu tenho a dizer é que o espirito dos Punks passados possuiu esses jovens que parecem ter saído da cena do ABC paulista dos anos 80. Muito bom e destilando emoção, principalmente o guitarrista Cássio, que berrava os refrões de quase todas as músicas. Showzaço pra uma banda praticamente nova – essa parece ser a segunda apresentação da banda – ótimo começo e que permaneça por muitos e muitos anos na nossa pobre cena punk/alternativa do Tocantins.

Desenvolvimento do show. Corell, o retorno.

Em seguida foi a vez da banda Corell, de Hugão e companhia. A banda voltou recentemente com uma nova formação e vem mostrando competência no que faz. Harcore/crossover cascadura é o que a gente ver aqui. Esse show foi do caralho mesmo com todas as letras. Com direito a diversas participações inesperadas como eu mesmo tomei o microfone e comecei a berrar. Alan da Críticos Loucos nos back vocals e diversos presentes ali que invadiram o palco, muito divertido e contagiante. Para incendia de vez, ainda rolou um cover de policia que levou os presentes ao delírio.

Meio de Show: Criticos Loucos, bloco de concreto sobre teto de vidro.

Termina o show e os Criticos Loucos sobem ao palco. Com o peso do baixo e da bateria é inciado a intrépida anunciação dos rifes brutais de Jefão, peso é alma dos Críticos. Um petardo atrás do outro, showzaço que só foi atrapalhado pelo vocal do Alan que quase não aparecia. Não sabia se o problema era na mesa ou realmente ele estava com a voz estourada, mas esses problemas também se repetiram na banda seguinte: Mata-Burro.

Hora do atropelamento total: Mata - Burro.

É a vez então dos idealizadores do festival, tocarem, com uma novidade: Hugão da banda Corell estava fazendo um dos vocais. Ele estava substituindo o vocalista Remo que saiu de ferias da cidade por uns dias. A banda mandou suas músicas já conhecidas da galera, e acho que algumas novas, pelo menos eu ainda não tinha ouvido. Punk/hardcore/grind. Realmente divertido o show desses camaradas. Fizeram o que vieram fazer.
Um momento inusitado foi quando no termino do show o baixista Bento destroçou o seu baixo no palco. Bem ai já era por volta de duas e meia da manhã, vez dos garotos do Albion.

Quase hora de procurar o Corujão: Albion

Não sei se era minha a impressão mais eu vi uma leve evolução dessa banda que estava com uma veia mais alternativa. O brilho ai fica mesmo por conta do baterista que tem uma levada pesada para o tipo de som que a banda se propõe a fazer. Pelo que vi, a maioria das músicas estão na linha do rock inglês, como não sou muito conhecedor deste estilo, não sei dizer se era cover ou musicas próprias, mas algumas eram covers. pelo que pessoas ali me falaram. De qualquer forma, foi um show bom e competente.

Bom dia amigos. Boddah Di Ciro.

Era chegada a vez da banda Boddah Di Ciro, que infelizmente eu não pude presenciar porque meu horário de ficar na rua já tinha se vencido devido aos afazeres do outro dia. Isso é o ruim de ir em um show na sexta, muita gente tem compromisso no sábado pela manhã, como é uma banda competente e ja com uma experiência, acredito que fechou bem a 1° edição do burrada, que com certeza é um festival que veio pra somar com os ja existente na nossa cena.


By Bento: Organizador do evento.
Entrevista integralmente conforme digitado no MSN.

Intolerante: Como foi o Festival?

Bento: Cara... A bilheteria cobriu os custos e as bandas tocaram muito bem, o público gostou.

Intolerante: e o público?

Bento: Deu aproximadamente 200 pessoas e as críticas foram ótimas. Cara eu gostei particularmente.

Intolerante: e sobre as bandas?

Bento: as bandas se apresentaram como segue abaixo.

Meros Berros.

Se consolida como banda revelação, além de fazer um som diferente, embora que hora lembra punk rock, outras vezes grunge, mostra-se uma banda promissora, com som simples mas bem ensaiado e com letras inteligentes.

O Corell

Volta aos palcos mais hardcore, mais agressiva, de longe é a melhor formação do grupo.

Críticos Loucos

Após uma apresentação apática no TOME se redime fazendo um show espetacular, mostrando toda a união do hardcore palmense. Teve momentos que membros das bandas Corell, Meu Xampu Fede, Mata-Burro, a Baba de Mumm-ra e outros amigos cantaram suas músicas no palco, naum houve como não se emocionar.

Mata-Burro

Os dono da festa. Bom... fizeram a festa. Destaque para Hugo, vocal do Corell, que substitui Remo provisoriamente.

Albion

Literalmente foi alucinante. Com cenas caóticas no palco, aquela postura de bons meninos eles deixaram em casa.

Boddah Di Ciro

Já amanhecendo o Boddah sobe ao palco com a qualidade de sempre, mas por estar poucas pessoas no recinto, pelo horário avançado, fez um show para amigos, foi lindo.

Link para conferir as fotos do Festival. Por Hermerson Silva.

http://picasaweb.google.com.br/bento1975/BURRADAFESTIVAL2008

3 comentários:

Bento disse...

AGRADEÇO O APOIO E A PARTICIPAÇÃO DAS BANDAS E PRODUTORES.

AO PÚBLICO, ESTÃO DE PARABÉNS.

MUITO OBRIGADO.

thiago o no eon de horus disse...

aiai...bela peformace de maggoo...
era para fazer criticas ou pagar pau?!
isso émuito facil!!!
da proxima vez passa a bola pra mim rivaldo, essa galera ja cansou

Anônimo disse...

porra oe uma cara esperto tal maggo
so que quando for escrever pra revista tem que leva a serio nao fica babando ovo pra um e dizendo q o a camisa do outro estava linda.
vei e outra a musicalidades desses caras ai q se jugam os musicos fodao sao a minima, pois eles apreender a fazer G-C-D
e vao toca punk rock e se acho o caras.
porra maggo
vc que e um cara critico pra porra
vamu fala a verdade cara

Seguidores

Revista Palmito City

Minha foto

Revista Intolerante é um blog tocantinenses que trata de cultura e ponto de vista. Sempre abrangendo os trabalhos de artistas marginais e emitindo ponto de vista de vários aspectos sociais.