segunda-feira, 21 de setembro de 2009

EFEITO COLATERAL DE UMA BURRADA


O saldo positivo do Burrada Festival foi a execução com êxito da agenda anunciada, fora os imprevistos do último dia, que a meu ver, é melhor que se faça chuva do que cair uma grande tormenta, ou seja, melhor que alguma banda não toque, ou que seja feita alguma mudança de última hora do que aconteça alguma grande lastima.

Não estou falando de nada ligado à organização do Festival, mas a imprevistos ou o imprevisto da banda URBAN CANIBALS.

A Banda que tem coragem de sair de uma distancia como Anápolis até aqui apenas para pintar de palhaça e simplesmente deixar a marca registrada de incompententes e anti profissionais, devia juntar-se ao Teatro Mágico atuando na performance de saltimbancos.

É que os caras mesmo antes de tocar em cima do palco tocaram o terror embaixo em um ambiente pacifico e longe de queixas entre a irmandade, alias, é bom que seja dito aqui, há muito tempo não existe show de rock com nego se desentendendo por causa de mosh piti ou por outra coisa por essas bandas. Foi a única novidades que essa pobre e infeliz banda trouxe foi o mau comportamento, que para mim não caracteriza em nada o espírito do cidadão de Anápolis.

Pior para eles que fecharam uma porta importantissíma no Estado vizinho que poderia ser melhor sendo uma ponte sempre que passando por aqui. Thauzinho Canibals, comam a sí mesmos por aí e dá próxima, seja lá em que buraco for, procurem despejar a fúria seja lá contra o que, na música e na apresentação, afinal, foi para isso que o rock nasceu, para que a resposta a todas as inquietações se manifestassem por meio dele e não usando ele como subterfúgio para fazer merda.

No demais, a Exposição de Curtas Miragens, em uma edição itinerante, foi um sucesso, bem como a exposição de fotografias e quadros exposto ao longo do Festival e a Acessória de Imprensa para bandas por Selêucia.

Finalizando, ressalto a ótima participação da banda Poetas do Caos que caiu de pára-quedas, mas deixou bem claro o que uma banda deve fazer quando uma oportunidade lhe é ofertada: “fazer bem feito o que se propõe a fazer”.

E assim, o Tocantins caminha para a consagração de um Estado com identidade no cenário Independente com graça. É bem verdade que o meu pessimismo ainda se sustenta em relação a muita coisa, mas em se comparando com mil e uma grandes cidades antigas que têm apenas um ou dois campos de batalhas para bandas pelejarem, por aqui já ta de bom tamanho. Cião!!!
Quer saber tudo em detalhes?

5 comentários:

Daiane [VivoVerde] disse...

Eu não fui, mas gostaria muito de ir .. rs

Bom, pelo que vejo só esta banda não foi muito legal... gostaria de ler mais coisas sobre o evento =] ou fotos heheh bju bjuus

Junior disse...

Tb não fui...

tb gostaria de ler algo sobre o evento...

mais afinal, esses canibais tocaram?

INTOLERANTE disse...

tocaram nada, se tivessem ficado mais o pau tinha sido feio. Foram embora! Sem tocar! Eu vou colocar o link com a resenha inteira de outro site que tem tudo certinho

Junior disse...

Opa... fico agradecido chefe!

Ithalo disse...

http://nausearreia.blogspot.com/

resenha pelo Intolerante!

abraços

Seguidores

Revista Palmito City

Minha foto

Revista Intolerante é um blog tocantinenses que trata de cultura e ponto de vista. Sempre abrangendo os trabalhos de artistas marginais e emitindo ponto de vista de vários aspectos sociais.