quarta-feira, 26 de agosto de 2009

O MOLEQUE DANADO DO MARANHÃO

Carrinho de roliman

Gilberto Junior

http://br.olhares.com/carrinho_de_roliman_foto781863.html


O moleque pobre do Nordeste aprende cedo a se virar como gente inteligente. Por isso que quando cresce vira artista, artesão e mestre em vários ofícios.

Nas brincadeiras entre o menino pobre e o rico já se vê sua astucia, por exemplo, enquanto o engomadinho senta na calçada com o jogo do Banco Imobiliario o que é fodido vai brincar de cair no poço. Brincadeira onde o menino e a menina descobrem o sabor do beijo ou do toque em algum lugar mais imoral no escurinho.

Igualmente, estando o mauricinho no seu Playstation, a cambada toda da rua de baixo estava ou jogando o PEIXE – brincadeira em que se desenha um peixe no chão e divide em partes e cada um vai comendo com um espeto fino e pequeno jogando em cada parte. Ou senão o BURACO – brincadeira em que é preciso colocar a peteca, ou bola de gude dentro de uma seqüência de três buracos seguidos cavados no chão. E ali se aprende sobre convivio, amizade e respeito mútuo.

Ate brincadeira mais violentas ensinavam o danado a perder o medo de encarar grandalhões, como o cuscuz ou montinho, em que se fazia um monte de terra e colocava o palito no meio e a pouco uma turma danada de moleques iam derrubando o montinho, aquele que fosse o que derrubasse o palito tinha que sair correndo ate certo local marcado para se salvar dos murros que a penca de menino doido vinha atrás dando em suas costas.

A vida do moleque danado do Maranhão, não é chata, suas estações estão preenchidas de agitação, cada brincadeira combinava com um tempo, o Peixe é bom de se jogar quando chove, o Pião na férias quando fica mais tempo na rua e o Taco ou Pau na Lata – brincadeira em que fica uma lata de óleo de cozinha de cada lado e um arremessador e um com o taco, tal como o baseball, é bom de brincar a noite, até a mãe ou o pai gritar na porta que já está tarde para dormir.

É, mais hoje em dia moleque danado é aquele que derruba mais nego e marca mais pontos na Lan. As habilidades físicas e de reciocinio manual se vão em trocas de alguns apertos de botões em joysticks.

3 comentários:

Paulo César Jr. disse...

rapá também já fui um moleque danado do Maranhão... Do tempo do tem em que a galera da rua se reunia pra jogar travinha e todas essas outras brincadeiras ai huahauhauahuah...

FERNANDO disse...

CARACA RIVAS DESCREVEU AI MINHA INFÂNCIA LA NO CODÓ DO MARANHÃO

FERNANDO disse...

É O MAGOO KKKKKKK

Seguidores

Revista Palmito City

Minha foto

Revista Intolerante é um blog tocantinenses que trata de cultura e ponto de vista. Sempre abrangendo os trabalhos de artistas marginais e emitindo ponto de vista de vários aspectos sociais.