quinta-feira, 7 de maio de 2009

FAROESTE CABOCLO


Devia ser feito um casamento dos 4 estados que se comportam do mesmo modo do velho oeste.

Digo no sentido de passar por cima das Leis e do povo. A política destes Estados é vergonhosa como é em qualquer outro Estado, com a exceção do fato de que nestes não há respeito mínimo pelo bom senso. Sabe, tipo a historia do concurso aqui no Tocantins, que a gente olha em volta e diz: PUTA QUE PARIU! SERÁ QUE NINGUÊM VÊ O QUE ESTÁ ACONTECENDO?

Nestes pedaços de faroestes os lideres agem como querem, tudo é desordenado e ninguém se importa, todo mundo faz de conta que está tudo bem. Lama existe em cima da calçada de qualquer lugar, mas nestas aqui, o pizeiro é feio!

Maranhão

As novas do Maranhão é que não há novidade nenhuma naquele faroeste. Não respeito por leis, legislação e os estupros ao bom senso correm a solta.
É como se a justiça, o presidente e toda a corja política fizesse de conta que nada aconteceu e que nada está acontecendo.
Toda a historia do Maranhão, aquela coisa tediosa que todo mundo já sabe, que os vampiros da família Sarney sugaram todo o sangue do estado por um longo tempo e que enfim, quando Jackson Lago assumiu o povo se animou na esperança de que agora haveria mudança de verdade, mas que nestes últimos dias foi derrotado em juízo e Roseana tomou as rédeas do Estado de novo, dava pra incluir nos livros de historias do ensino fundamental de tão transparente que é essa história.

Rio Grande do Sul

Embaixo da saia da Yeda Crusius os carrapatos diretos do seu governo se amontoam numa avalanche de escândalos sem fim, enquanto isso, as ordens que saem do seu gabinete fecham escolas itinerantes do MST, deixando a margem milhares de crianças que não têm outra forma de ensino. Essas coisas acontecem no mesmo período em que ela diz estar pensando em comprar um avião particular para poder ver de cima a mancha vermelha misturada a sangue e bandeira de movimentos.

São Paulo

Em São Paulo José Serra joga pesado pra manter os educandos enlatados no modelo de ensino Neoliberal e os professores fodidos para não beneficiar pobre algum.
Ele inventou o tal do professore temporário, tipo que trabalha por um período e recebe uma merreca e que depois é mandado embora com uma mão na frente e outra atrás.
Esses dias o safado fez o seguinte: meteu uma prova toda errada pra avaliar o professor temporário, não tinha jeito, pra onde o educador respondesse ira dar errado, e o resultado foi? ZERO para essa classe burra, é como ficou exposto! Mas no fundo, é que as provas foram elaboradas de modo a mandar embora os temporários com boas justificativas.

Tocantins


A história do concurso do Estado engavetada coloca o Tocantins ao lado dos estados que prezam pelo modelo político do velho oeste – SEM LEI.
Por aqui dá medo sair na rua e ver morcegos voando em motocicletas com lanças automáticas empunhadas pela rua olhando fixo procurando alguém que tenha coragem de encarar para justificar um safanão ou coisa pior.
Vamos somando as pressões dentro dos órgãos públicos do OU VOCÊ SE CALA OU VAI PARA A RUA.

O governador é cassado, mas não da em nada. É um monte de vereador que recebe uma bolada só pra trocar o nome de uma avenida.

2 comentários:

Rê disse...

e o que mata é ver o presidenteexsindicalistaemilitantedeesquerda visitando o Estado do Tocantins quase toda semana pra inaugurar BARRAGEM de mãos dadas com o governador, coisa nojentaaa !!! O FHC deve estar muito orgulhoso, citando apenas um neoliberal pra não citar outros nomes que eu começo a vincular com a imagem do Lula...

Anônimo disse...

e as bandeiras vermelhas ainda são poucas(talvez falte lá os jovens que vestem a camisa do che e as sandalhas de couro de lampião)perto de tanto sangue que jorra do meio rural brasileiro... e os respingos de sangue que suja a camisa importada do Lula é simplismente levada pra lavanderia como se nada estivesse acontecendo!

Seguidores

Revista Palmito City

Minha foto

Revista Intolerante é um blog tocantinenses que trata de cultura e ponto de vista. Sempre abrangendo os trabalhos de artistas marginais e emitindo ponto de vista de vários aspectos sociais.