segunda-feira, 9 de março de 2009

POESIA - ROSÁRIO NEGRO


Nasci, a primeira, amarga pétala de rosa
Recauchutado em mundo, provim
O lodo de meus sapatos
Profanam de onde viera
As ventanias penteiam meus cabelos
Ao modo do destino
As facetas de um sorriso
Atraem-me e trai-se
Aflora-se em meu ver

Espinhos que se moldam
E perfuram a superfície de meu ser
O oficio perpetuo da carne
Faz-me transpor tudo isso

À beleza cega da mais tenra rosa
Em mãos virgens
Ansia que corrói minhas entranhas
Um anjo que bate tuas asas
Formando ares e ressonâncias
De um doce pecado

As mãos atadas, os corpos envoltos
Tremem como a tempestade
Que sopram as raízes dos folhetos

De uma estonteante razão
Para dar vazão à vida
No fim mais um virá

Para renascer como mais
Um espinho que se murcha
Diante a leve amargura
De mais uma dezena
Do Rosário de uma existência
Quase, assustadora e mística
Cumprirei minha devoção
Em acontecer

Deixarei minhas marcas
No templo da maldição, amanhecer
Obterei minha benção eterna

Foi-se, a última pétala
De meu rosário em você!!!

(Thiago Eon)

4 comentários:

Re disse...

o desenho tb é de Tiago Eon?

INTOLERANTE disse...

do intolerante kkkkk

Re disse...

imaginei !!!!!!!!!!!!!! Maravilhoso!

Anônimo disse...

é...mas tudo ao seu momento
talvez não o certo para ler agora
para vc...

Seguidores

Revista Palmito City

Minha foto

Revista Intolerante é um blog tocantinenses que trata de cultura e ponto de vista. Sempre abrangendo os trabalhos de artistas marginais e emitindo ponto de vista de vários aspectos sociais.