sexta-feira, 6 de fevereiro de 2009

VOLTA AS AULAS DE EDUCAÇÃO FISICA

CORRE SENÃO FICA

Pista de corrida dos estudantes noturnos do CAMPUS DA UFT de PALMITO CITY

Não sei pelo dia, mas a noite é clássico na UFT a corrida dos alunos pra pegar o ônibus. É assim, o BASA tem um horário especifico de passar, e o último, depois das dez, se perder perdeu. Daí a correria começa na classe, por que aquele professor que não tem mais nada pra falar, mas acha que cumprindo horário ta fazendo vantagem, diz pro aluno que se ele sair um minuto antes dele terminar a aula vai pegar falta, então começa o terror: ou o aluno sai no meio da aula pra sair correndo atrás do ônibus ou fica até o final e da aula e se estrepa para chegar em casa.

A correria atrás de buzu na UFT é uma falta de vergonha, deveria ser denunciado. Já vi senhoras com os braços cheios de livros, tirar sandália e atravessar o gramado molhado por aquele aguador que molha tudo ao redor – até parecia aquele tempo nos canteiros da cidade onde a gente banhava sem querer passando ao lado dos jardins – para poder chegar até a bosta da condução, e, já vi pior, fazer todo o sacrifício e filho da puta do motorista não parar por que não era no ponto. Que ponto? Nem ta no transito. É dentro da Universidade.

Mas ta lá, um bando de idiota vestidinho com camisa de Che Guevara e fazendo carteirinha para todo mundo entrar no Choppleque com meia entrada que se juntam e se definem politicamente todo ano como MOVIMENTO DE ESTUDANTE. Não seria este para defender essas coisas?
Movimentos sem movimentos é isso que é. Nego sem proposta de verdade, que ficam se lambusando com os orgulhos dos movimentos estudantis de 68 que produziam alguma coisa.

Ta na hora de colocar barricada, fazer faixa e quebrar vidro de ônibus se não parar. Não se enganem, o DCE não ta nem ai, até por que coitado dos caras que tão lá, eles nem sabem nada de nada.

Eu me lembro quando estavam fazendo uma reforma lá que foi pior. Fizeram a parada do ônibus em um espaço de terra. E quando o ônibus chegava, subia aquele poeirão, dava dó. Pena mesmo de ver o povo correndo com a mão na boca pra entrar naquela porcaria. Denuncia? Pra quem? Quem se importa com pobre estudante noturno. É tudo gente cansada que sai do trampo e vai direto pra aula mesmo, que interesse tem?

Mas esse ano os malandrinhos vão lá nas turmas de novo defendendo, falando alto, condenando a administração passada do DCE, prometendo que não vão ficar só fazendo carteirinha e pá. Digo como o cartaz que fica no corredor da Universidade anunciando uma festinha com caipirinha na faixa: VÃO PARA O MEUPAL!

5 comentários:

Felipe Albuquerque disse...

Gostei muito do texto! Retrata bem a realidade dos acadêmicos sofridos que utilizam a linha 9 como condução (eu também utilizo, desde 2005).

Eu me envergonho muito de certas atitudes (ou seriam desatitudes?) das gestões do DCE (sem generalizar). Ainda mais porque não tem a sensibilidade de procurar ouvir os alunos. Afinal... não utilizam o Basa como condução...

Mas posso afirmar! O movimento estudantil da UFT não é exercido somente pelo DCE. Existem outros estudantes e entidades que lutam pelas nossas causas, incluindo o Basa!

Paulo César Jr. disse...

Cara a solução ai é a galera se juntar e coletar o maior número de assinaturas possíveis e procurar o ministério público a fim de conseguirem uma liminar que liberem os alunos mais cedo da última aula, quer dizer liberar os acadêmicos a tempo de poderem pegar o busão e voltarem de boa pra casa... façam valer os seus direitos esse lance de DCE não cola quer dizer pra mim nunca colou, porquê eles nunca fazem nada por ninguém só estão ali por estar, sem ideais concretos esses poucos para representar muitos neste caso não concordo... o lance é todos por todos provem pra esse pessoal que vocês não estão de brincadeira sejam ontolerantes a justiça está ai procurem os meios e mais uma vez façam valer seus direitos!!!!!!!!!!!!!!

Luis disse...

Cara, não conheço o movimento do DCE na UFT, porém imaginei a mesma coisa, quando se trata de defender um grupo de pessoas(os acadêmicos), tendo como representantes pessoas que não fazem valer estarem lá, protestem, quebra essas porras desses vidros dos buzão, barricada, só assim alguém tomará as providências, foda que essas porras são como o INTOLERANTES Rivas falou, nego quer carteirinha pra pagar meia pra ir pro chopileque, vila de palma, e aí por diante, tem os carrões pra catar as gatinhas por lá, tem estatus de ser FULANO do DCE da UFT. Muita viagem, mais se nego não faz nada, é porque estão acomodados, acorda cambada!!!

Lara disse...

Estudo na UFT no período noturno e, realmente, é assim que acontece, já houve casos em que amigos meus perderam o último basa e tiveram que voltar à pé da universidade.

Porém o autor do texto perde totalmente a razão ao partir para a ignorância. Vandalismo nunca foi e jamais será a forma de resolver problemas. Confesso que ficarei enormemente envergonhada se algo parecido acontecer nesta universidade onde, teóricamente, os alunos deveriam ter uma postura, no mínimo, mais conciente.

Quanto à carteirinha de estudante, deveria ser vista, não como um meio de pagar menos em festas, mas como uma conquista adquirida por todos os estudantes.
E se acham que o DCE não faz nada, digo apenas uma coisa: TODOS OS REPRESENTANTES SÃO O REFLEXO DE SEUS REPRESENTADOS, não fique esperando que os movimentos estudantis resolvam suas vidas.

E você, meu caro Luis, como pode dizer que os caras "tem os carrões pra catar as gatinhas por lá, tem estatus de ser FULANO do DCE da UFT" logo após ter afirmado não conhecer o movimento do DCE na UFT.

Acho, assim como vocês, uma falta de respeito com os estudantes, não só o fato de o último ônibus passar cedo como também o tempo de espera e a quantidade insuficiente de viaturas para a linha, porém se quero mudar isso devo agir e não vejo como ação apenas postar um texto falando da "bosta da condução" que é uma "porcaria".

Anônimo disse...

Concordo em parte com o autor, principalmente quanto ao "perfil" das "figuras" que, geralmente, fazem parte de DCE´s etc. Esse pessoal, salvo raríssimas exceções, não está a fim de estudar, mas de tirar algum tipo de vantagem que tais "cargos" possam lhes oferecer. Quase sempre, servem-se da "política-universitária", como trampolim para uma futura candidatura a vereador, por exemplo. Espero que as "figuras" daí, pelo menos, sejam afeitas ao hábito de tomar banho, pois algumas das que são da UEM, Universidade Estadual de Maringá, consideram esse costume um tanto quanto "anti-intelectual". Em relação ao transporte coletivo que serve à UFT, realmente, a Reitoria & Cia. precisa intervir neste assunto, pois em 2007 fui prestar um concurso aí, e acabei gastando uma nota preta com táxi, já que havia poucos ônibus, e estes saiam (à tarde: 17:30 mais ou menos) como latas de sardinha. Além disto, os ônibus tinham que fazer o retorno na terra, na maior poeira. Fico imaginando quando chove, o lugar deve inundar. É isso aí. Nada de violência, mas uma passeata ou piquete em frente a Reitoria, às vezes, é muito bom. Faz as "autoridades" acordarem. Reúnam-se, organizem-se, convoquem a imprensa (TV, Rádio e Jornal) e botem a boca no trombone. Boa sorte.

Paulo Cezar
Maringá -PR.

Seguidores

Revista Palmito City

Minha foto

Revista Intolerante é um blog tocantinenses que trata de cultura e ponto de vista. Sempre abrangendo os trabalhos de artistas marginais e emitindo ponto de vista de vários aspectos sociais.