sexta-feira, 5 de setembro de 2008

DESABAFO. A FALTA QUE O ROCK FAZ.

Cuiabá é um lugar conhecido pelos Festivais de prima no cenário do rock, contudo, adentrando nas circunvizinhanças da Capital Mato-grossense, vê-se que não é a mesma coisa em todos os lugares. A carta que segue vem de SINOP – MT, denominada pelo autor de:

NOTHING TOWN. AQUI NADA ACONTECE.

Olá galera, sou César.

Recentemente Rivas esteve em Nothing Town e me falou sobre a criação da revista INTOLERANTE, logo que voltou a Palmito City tratou imediatamente de concretizar sua idéia. Eureka! Surgiu a revista pra quem já está cansado de assuntos superficiais e mesquinhos impostos por pessoas que se acham os donos da razão.
Estou aqui como correspondente dos rumores dos lados de cá, e, mesmo estando amordaçado, irei relatar daqui pra frente o que se passa em Nothing Town, uma cidadezinha do interior Mato-grossense.
Não entendo até hoje por que vim parar aqui, mas tudo bem. Faz quase seis anos que moro aqui, no primeiro dia em que coloquei meus pés no solo árido de nothing town percebi que fui condenado ao exílio.
Aqui tem de tudo menos o velho e bom rock que me identifiquei quando ainda era criança.
A tortura começou logo que desci do ônibus, as doses cavalares de rock a que eu estava acostumado, perderam o espaço para essas músicas populares. Putz! Aonde eu vim parar? Entrei em desespero.
Passados alguns dias, fui em busca de evidencias, queria encontrar algum vestígio do rock, mas apesar de meus esforços nada encontrei. Como a esperança é a última que morre, continuei minha busca. A primeira apunhalada foi quando encontrei uma galera que se diziam roqueiros e tal. Perguntei a eles que banda eles curtiam ai uma “punk de butique” me disse: - ah a gente curte Hansons.
Sugiro aqui não um minuto de silêncio em reverencia ao rock que foi enterrado como indigente devido ao conceito descabido que o povo daqui tem sobre ele, mas sim a eternidade em total silêncio. Logo vi que de rock eles não sabiam nada, só me restou ser um solitário militante do rock neste lugar.
Nothing Town é dominada por fascistas culturescos vindos do sul.
Adeptos dos vômitos enlatados e propagados pela mídia televisiva que se vangloriam em ter uma cultura promiscua que fede a lodo e se sujeitam a um aparelho eletrônico em que fantoches arrotam informações maquiadas, aqui se configura uma ditadura de característica nazista. Condenam tudo o que não os interessa à marginalização.
Eis que surge uma fagulha em meio à escuridão, quis acreditar realmente, mas enfiaram o dedo nos meus olhos. Uns dois anos atrás começava aqui um movimento underground que prometia revolucionar esta cidade através do rock. Mas tudo não passava de fogo de palha, eram somente pessoas influenciadas pela mídia global, elas não possuíam o espírito do rock, caíram na mesmice de plagiar as bandas dos anos 50, 60 e 70.
O rock e bandas como os beatles, por exemplo, foram ridicularizados por artistas de buteco que usaram de puro blefe e ensaiam um inglês embromado nos tais bailes que acontecem sempre por aqui.
A verdade é que, eles confundiram o Pop Rock dureza com o rock.
Dissipada essa euforia vi que estava só novamente, foi ai que decidi: vou mostrar pra esse povo o que é rock´n´ roll de verdade. Aproveitei todo meu conhecimento e comecei a divulgar o rock a todos que estivessem interessados. Apesar de tudo, poucos aderiram de fato o estilo e a atitude do rock. Muitos dos recém roqueiros não agüentaram essa cultura de puro blefe vinda do sul e fugiram daqui.
Minha pena ainda não acabou, estou sentenciado a mais uns anos de tortura em Nothing Town.
Mas consegui uma ferramenta poderosa pra resistir bravamente às seções de tortura a que sou submetido todos os dias, essa poluição sonora que eles se atrevem a chamar de música. É ela, a maravilhosa Internet que me mantém a par de tudo o que acontece fora daqui é uma válvula de escape, pois aqui nada acontece nada mesmo.

P. César. Direto de Sinop – MT

Um comentário:

Anônimo disse...

Putz! César meu caro, a situação tá complicada ae, hein?? mas sabe como eh rokeiro, num desiste nunca!E é muito massa ter vc agora como Correspondente ae de MT! Intercâmbio massa entre vc e o Rivas...pelo jeito, vcs são igualzinho....rsrsrsrs
abraços!

Seguidores

Revista Palmito City

Minha foto

Revista Intolerante é um blog tocantinenses que trata de cultura e ponto de vista. Sempre abrangendo os trabalhos de artistas marginais e emitindo ponto de vista de vários aspectos sociais.