sexta-feira, 1 de agosto de 2008

96 ROCK:
Rock pra quê te quero?


Em uma cidadezinha nazi-puritana, um fiel soldado do movimento rock forever estava preso a uma cadeira em uma solitária masmorra. Junto com ele, um radinho a pilha ligado o dia inteiro, onde um alcoólatra, deprimido e mal pago locutor toca as canções do momento, sempre com aquela falsa expressão de voz alegre: “onde você estiver: no seu carro, no trabalho, em casa, ou onde quer que seja, a partir de agora eu lhe farei companhia”.
E agora? O que fará nosso valoroso soldado sob tão intensa tortura? É aí que, de repente, um programa rompeu a barreira dos conceitos equivocados da música e disparou uma metralhada de riffs violentos e renovou as forças do pobre guerreiro. Só assim ele conseguiu sair das amarras e enfrentar os inimigos que o oprimiam.
Estamos falando do programa 96 rock. Exibido toda Sexta Feira a partir das 22:00 h.
Os apresentadores Nico Miranda e João Carlos, assumiram a missão de levar
a cultura do rock, em todas as suas vertentes, ao estado mais novo da federação.
A militância do programa começou em maio de 2006, sendo que até aqui tem mostrado maturidade e conquistado público, desde os vovôs aos netinhos do rock.
Na programação tem os quadros: garagem 96, onde rola entrevista com alguma banda que está divulgando trabalho. Tem ainda as piores do rock, onde são tocadas as pérolas do rock (as mais toskas). E ainda o bloco, os clássicos do rock, onde é abordado sobre alguma banda do passado. O programa é a saída pra quem gosta de rock de qualidade, além da oportunidade de conhecer melhor os movimentos e bandas da capital.
Ah, e o cara que estava amarrado na cadeira na masmorra? Pois é, ao termino do programa, perdeu o poder e voltou para a cadeira com o radinho de pilha e um velho clichê que dizia: “Agora, segue sua programação normal!”

Programa 96 Rock
Sexta Feira ás 22:00 h.

Pela Net:

Participação do ouvinte:

Comunidade Orkut:

Apresentadores:
Nicio Miranda e José Carlos.

Direto dos blogspots

Eu sou um típico fanático por blogspots. E tem como não ser? Ora, se eu preciso de vídeos aulas, apostilas, programas, vídeos e o melhor de todos, MP3, é só ir no blogspot certo, e pronto, ta na mão dentro de alguns minutos. E eu baixo mesmo, baixo por que já era esse tempo de comprar cd caro, além do quê, o que geralmente ouço não tem nessas lojinhas espalhas por ai, nem mesmo naquelas que têm de tudo, menos o cd que a gente quer.
Segue ai algumas dicas do que tenho baixado ultimamente nos blogs.
Degusta baby!!!

Architecture in Helsinki
In case we die
Tem dias que a gente chega em casa e revira todos os cds e mp3 na tentativa de encontrar algo bom além daquilo que ouvimos o tempo todo. Para você que anda incomodado com a mesmice, eis aqui um prato cheio pra quem gosta de experimentar alternativas. Architecture in Helsinki é uma banda no estilo Arcade Fire, contudo, com sentimento mais divertido. In case we die é um cd agradável de se ouvir, cheio de experimentações e andanças pelas mais variadas possibilidades sonoras.
Então o que você está esperando? Entra logo em www.downloadmp3rock. blogspot.com e baixa logo.

Mosquitos
Mosquitos (2003)
Inglês - português, português - inglês. Parece uma frase de dicionário de inglês, mas não é, esta é uma insinuação a banda Mosquito.
Essa anda toca bossa rock bastante agradável aos ouvidos, porém, pra quem se incomoda com o inglês no meio do português, opa, não o fulano inglês “no meio” do sujeito português, é a língua inglesa misturada com o português, é bom nem ouvir. Mas faça o seguinte, mesmo você sendo tão amante da nossa língua e não aceitar esses adultérios, ouça! Ouça em uma boa manhã de Domingo enquanto você coloca a cerveja na geladeira e ascende o fogo da churrasqueira, você nem vai perceber.
Para baixar essas preciosidades, entre otras cositas mas:

Um comentário:

Crazyman disse...

Valeu Mr Rivas, o blog tá legal, vou divulgar no programa pra galera acessar, grande abraço

Seguidores

Revista Palmito City

Minha foto

Revista Intolerante é um blog tocantinenses que trata de cultura e ponto de vista. Sempre abrangendo os trabalhos de artistas marginais e emitindo ponto de vista de vários aspectos sociais.