terça-feira, 9 de junho de 2009

POR QUE CHAMAM AQUELA BANDA DE BANDA DE GARAGEM, SE NEM GARAGEM TEM PARA ENSAIO?

Quando HTTP ensaiava na borracharia do baterista do Engenho Novo.

No quarto. Na borracharia. No estúdio. Na área de uma casa. Na sala.
Pago. De graça. Emprestado. Esmolado. Chorado. Lamentado. Quase forçado. Em todas estas situações eu já tive que passar para poder conseguir fazer um ensaio com uma banda e ainda ser insuficiente para fazer bacana em um show.

O problema da não continuidade de bandas que iniciam com um projeto fodido não dar certo são três:

1 – Grana;

O problema da grana é que para fazer alguma coisa precisa ter mesmo, alem do que, um monte de nego ai que toca legal só gosta de tocar com quem aparece entre as bichinhas do rock da cidade.
Quando o cara tem grana ele tem estúdio, tem amigo, tem músicos, tem equipamento, de modo que sua obra chega a ser concretizada do modo como ele imagina, e olhe lá, tem gente que tem tudo isso e ainda sim o som é uma bosta, mas tem grana até pra comprar publico, acreditem!
Parece que o dinheiro no mundo do rock de garagem anda pelas mãos erradas, mas é assim em quase tudo neste mundo que Gil canta: “O mundo desigual, tudo é tão desigual”.

2 – Local de ensaio;

Aqui está um dos maiores assassinos de bandas boas em Palmito City. Os estúdios não são flexíveis nem nos horários e nem nos preços. Bom, 15 paus por uma hora de ensaio pode ser justo, mas é que a maioria dos malucos são tudo rodado, quebrado mesmo.
Toda banda que eu encontro por ai tem sido afetada pela gripe do estúdio, quer dizer, toda a banda vai para a enfermaria por causa do mal.

3 – Compromisso.

E ai vem a maior confusão da bandinha: Compromisso.
Mais ou menos assim, quando você chama um cara pra tocar com você, logo ele quer saber o que vai ganhar com isso. Cachê? Mina? Fama? Droga? Se você só tem um projeto, é bom vender logo o que tiver de mais caro pra poder pagar estúdio e passagem do infeliz que vai se locomover de buzu da Arno 31 para a 33 e quer por tudo ser carregado nas costas.
A questão é que o projeto de um cara é dele e se não achar nego comprometido e disposto a meter lenha na fornalha, fudeu! Cabou grana, sumiu os caras.

O local de ensaio não poderia jamais ser o motivo da falência de bandas, mas confesso, é cansativo essa historia de andar correndo, brigando e se revezando em torno de estúdios ou locais de ensaio.
Fora que quando é pago, aí mexeu no rabo alheio quando se fala em dividir a parada. Que se foda, se vira.

Mas vamos nessa, não deixar empoeirar as letras e nem enrijecer os dedos. Bola pra frente! Desanima não, pelos menos nessa jogada toda vai dar pra saber quem é que merece estar perto na hora dos grandes shows e ganhar grana de verdade. Boa sorte em sua empreita, eu já to sangrando na minha.

3 comentários:

reuel disse...

Pega tudo isso e eleva ao quadrado...ai vai dar o resulatdo de como uma banda do interior sofre...rs...Eu ia descrever,mas, to trabalhando pra pagar a passagem pro pmw!haihaihaiiaha...

Anônimo disse...

Cara adoreii o comentario
isso rola d+ em qualquer lugar
pessoas com compromisso pra tocar ta dificil
de encontrar.....

walison rodrigues disse...

Falo e disse intolerante
a Stiff de miracema esta parada por motivos assim
falta de pessoas com compromisso
e sem baterista.........

Seguidores

Revista Palmito City

Minha foto

Revista Intolerante é um blog tocantinenses que trata de cultura e ponto de vista. Sempre abrangendo os trabalhos de artistas marginais e emitindo ponto de vista de vários aspectos sociais.